Resenha de Livro: O Teorema Katherine

20150126_110356Hoje trouxe mais um dos livros queridinhos de John Green para o blog: O Teorema Katherine. O livro foi publicado pela Editora Intrínseca em 2013. Ele tem 304 páginas, com gramatura perfeita, folhas amareladas e notas de rodapé incríveis!

Sobre as notas de rodapé: Quem leu o livro percebeu a maravilha que são as notas de rodapé, que deixa o livro ainda mais engraçado, e nos dá mais conhecimento sobre a história e sobre algumas curiosidades do mundo aahhaha. Gostaria que todos os livros tivessem notas de rodapé, sinceramente.20150126_110513Sinopse: Se o assunto é relacionamento, o tipo de garota de Colin Singleton tem nome: Katherine. E em se tratando de Colin e Katherines, o desfecho é sempre o mesmo: ele leva o fora. Já aconteceu muito. Dezenove vezes, para ser exato.

Depois do mais recente e traumático término, ele resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e um melhor amigo bem fora de forma no banco do carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar pés na bunda, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. 
Uma descoberta que vai mudar para sempre a história amorosa do mundo, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.20150126_110403O livro conta a história de Colin, que já namorou 19 Katherines e ambas terminaram com ele. Depois de um novo pé na bunda. Ele e seu amigo decidem pegar o carro e cair na estrada. E nessa viajem sem rumo, acaba descobrindo coisas que nunca imaginou ver e viver. Sempre com seu caderninho ao lado, é claro.

Com esse caderninho, Colin elabora um Teorema para prever os acontecimentos de um relacionamento, com ajuda da matemática. Levando em conta a idade, sexo e tudo mais! Assim, também desenvolve um gráfico entre os Terminantes e Terminados (os que terminam o relacionamento, e os que levam um pé na bunda). Dentro de várias aventuras, o ex prodígio viciado em anagramas consegue fazer com que seu Teorema dê certo para as 19 Katherines!20150126_110433Em meio à toda essa história, Colin faz várias descobertas. E dentre elas, descobre que o futuro não pode ser previsto, e que seu Teorema infelizmente não o tornará importante e conhecido pela história. Mas que sua jornada durante a construção do Teorema, o tornará importante e reconhecido na história de muitas pessoas. E que as vezes, é apenas isso que importa!

Sobre a minha leitura: O livro me prendeu de início ao fim, porém, como li ele em uma fase complicada (fim de semestre) admito que deixei-o de lado para fazer várias outras coisas. E por isso, a história não foi “aquilo tudo”. Não quero dizer que seja ruim, na verdade o livro é ótimo, muito bom mesmo. Mas é fato (pelo menos para mim): quanto mais enrolar para ler, menos “surpreso” o livro se torna.

Porém, já indiquei a leitura para várias pessoas, que acharam o mesmo que eu! Espero que tenham gostado de saber um pouco mais sobre o livro. Recomendo muito, é uma leitura ótima. Tem para vender aqui.

Anúncios

Resenha de livro: O Extraordinário

20150115_133952Nas ultimas semanas tenho lido bastante, e resolvi trazer um dos livros que li, e gostei, para vocês. O livro O Extraordinário foi publicado pela Editora Intrínseca em 2012, escrito pelo autor R.J. Palacio.

Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Tudo começa ainda antes de August nascer, quando os médicos detectam uma síndrome genética que afetaria seu rosto, deformando-o. Por passar por várias cirurgias, que lhe deram uma infância conturbada, passando muito tempo no hospital, e pelo seu próprio rosto, os pais de Auggie nunca o fizeram entrar em uma escola normal. Mas, aos 10 anos, os pais de Auggie decidem que ele deve frequentar uma escola. A princípio Auggie odeia a ideia, mas, depois de uma reunião com o diretor da escola e três crianças que vieram dar as boas vindas e apresentar a escola. Depois de continuar relutante com a ideia, sua mãe da a possibilidade de Auggie desistir a hora que sentisse vontade, então, ele decide enfrentar isso.20150115_134008

O livro conta, praticamente, o primeiro ano de Auggie na escola. É uma leitura triste e feliz ao mesmo tempo, por todo preconceito que Auggie sofre, mas, mesmo com tudo isso, tem a superação, a coragem de Auggie que aprendeu a conviver com a aparência dele, aprendeu a ser feliz desse jeito.

É um livro super tranquilo de ler, narrado em primeira pessoa e alternando a narração entre a perspectiva de August e pessoas próximas dele. Recomendo muito este livro!20150115_134037

“Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil. – Dr. Wayne W. Dyer”

E você, já leu O Extraordinário? Vai ler? Compartilhe com o blog! Espero que tenham gostado, beijos.

 

Resenha de Livro: Veneno

20140224_141246Sinopse – “Sexy, sarcástico e de prender a respiração! Para os fãs de Once Upon a Time e Grimm, Veneno é a prova de que contos de fadas são para adultos! Não existe “Felizes para sempre”! Você já pensou que uma rainha má tem seus motivos para agir como tal? E que princesas podem ser extremamente mimadas? E que príncipes não são encantados e reinos distantes também têm problemas reais? Então este livro é para você! Em Veneno, a autora Sarah Pinborough reconta a história de Branca de Neve de maneira sarcástica, madura e sem rodeios. Todos os personagens que nos cativaram por anos estão lá, mas seriam eles tão tolos quanto aparentam? Acompanhe a história de Branca de Neve e seu embate com a Rainha, sua madrasta. Você vai entender por que nem todos são só bons ou maus e que talvez o que seria “um final feliz” pode se tornar o pior dos pesadelos! Veneno é o primeiro livro da trilogia Encantadas, e já é um best-seller inglês. Sarah Pinborough coloca os contos de fadas de ponta-cabeça e narra histórias surpreendentes que a Disney jamais ousaria contar. Com um realismo cínico e cenas fortes, o leitor será levado a questionar, finalmente, quem são os mocinhos e quem são os vilões dos livros de fantasia! Palavra da editora: Veneno é um livro tenro como uma maçã envenenada. Belo como os vilões costumam ser. Sarcástico como príncipes mimados. E sem finais felizes porque já estamos bastante crescidinhos! (E, ainda assim, é um dos finais mais chocantes da ficção atual!) Para fãs de séries de TV e histórias picantes e divertidas, Veneno é puro entretenimento! – Mariana Rolier”20140224_141254

Veneno é primeiro livro da saga “Encandas”, uma adaptação dos clássicos contos de fadas escritos por Grimm. O livro reconta a história da Branca de Neve, de uma forma sensual, sombria e sarcástica. Para minha surpresa, apesar da sua extrema beleza e esperar sempre o melhor das pessoas, Branca de Neve tem todo esse “estilo selvagem” e rebelde, nada de frescuras como clássicas princesas. A Madrasta má, Lilith é jovem e quase tão bela quanto Branca de Neve, foi obrigada a casar com o rei, pai de Branca, que não tem nada de sensível e atraente.20140224_141340

Durante a ausência do rei, que tinha partido para uma guerra, Lilith se aproveita para “corrigir” Branca de Neve, e garantir que ela case e suma de sua vida. Algo nada fácil, nem para uma bruxa. Mesmo Lilith sendo “a madrasta má”, ela não é tão mal assim, seus planos iniciais não incluíam matar a jovem princesa. Mas houve um engano, e isso quase custou à vida de Branca, a partir de então a relação entre as duas muda, assim como muda os planos da rainha sobre o futuro da princesa. Entra na história o “caçador”, com um papel totalmente diferente do conto clássico, mas com o mesmo dever: Entregar o coração da Branca de Neve para a rainha. O caçador não cumpre com o seu dever, hipnotizado pela beleza e ousadia da princesa. E por escolher proteger a vida de Branca, ele sofre uma grande consequência.

Branca de Neve conta com a ajuda dos seus amigos anões para escapar de Lilith, que tem olhos em todos os lugares. Mesmo assim, branca cai no truque e morde a maçã, e é aí que entra o príncipe e tudo começa a ficar realmente fora das minhas expectativas com a história. O Príncipe “apaixonado” e “esperançoso” muda totalmente de papel, se mostrando um tanto machista e totalmente mimado e egocêntrico. O livro realmente me surpreendeu, eu já imaginava várias coisas e tava louca para chegar no final, imaginava muito romance e amor entre o príncipe e a Branca de Neve, um final feliz típico desses contos clássicos, acho que por isso eu fiquei um pouco desapontada com o final, me perguntando “cadê o romance?” “não pode simplesmente acabar assim”. Nas últimas páginas ainda aparece algumas surpresas, surge João e Maria, e reaparece o caçador na história, ainda sobre as consequências dadas a sua escolha. Como dito na sinopse “Veneno” é realmente “sexy e sarcástico” (traz umas cenas bem sensuais e palavrões) e corrompeu minha ideia infantil do conto. Estou louca para ler “Feitiço” o segundo livro da saga.20140224_141358

A narrativa é em terceira pessoa e bem fácil de entender. Diagramação perfeita, a capa é linda e foi o que me chamou a atenção, as folhas são amareladas e os capítulos são enfeitados e super fofos. Super recomendo para quem gosta de ficção e para quem tem tempo, dá vontade de ler em uma tarde só.

Espero que tenham gostado! Esse post é da autoria de Hellena, a nova colaboradora do blog! Vocês verão muito ela por aqui ahhah! Bisous.

Resenha de livro: A culpa é das Estrelas

DSCF3088Hoje vim fazer mais uma resenha de livro (tenho mais dois para fazer ainda). Eu deveria fazer por ordem e falar de outro hoje, mas não resisti e trouxe A culpa é das Estrelas de John Green.

Publicado pela Editora Intrínseca em 2012. Ele tem apenas 283 páginas, com gramatura perfeita e folhas amareladas ❤

“Faça aquilo na qual você é bom. Nem todo mundo tem essa sorte de ser bom em alguma coisa.” Página 260.DSCF3108Sinopse: Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante – o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos – , o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

“Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre o 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros…. Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.”        – Hazel GraceDSCF3100O livro narra o romance de dois adolescentes que se conhecem e se apaixonam, em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer. Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionárias que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Augustos é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer – a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirados, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das Estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Greem, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

“Enquanto ele lia, me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra” Página 118DSCF3102No início eu imaginei várias coisas para  final, mas John Green me surpreendeu. Pensei de início que o livro contaria mais como é a rotina de pessoas com câncer, estava errada. O autor conseguiu criar uma história fantástica, com personagens incríveis , nunca imaginei as reviravoltas que o livro daria. Vi muitas pessoas fazendo resenhas sobre o livro e dizendo que o livro não impressionou-as. Bom, pelo menos para mim, a história é simplesmente perfeita, bom, apesar de eu ficar curiosas em como as coisas aconteceram depois que o livro acaba.

“Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados.” Página 235.

Acho que o livro é perfeito, a história me prendeu do início ao fim. Teve momentos de muitos risos, e de lágrimas também, e eu queria uma continuação do livro ainda. Essa história me mostrou coisas que deveriam ser importantes para nós. Me fez enxergar o mundo de uma perspectiva diferente, tão real, delicado e doloroso. Me fez pensar em todas as vezes que eu reclamei da minha vida sem ter realmente um motivo para isso. Mas dava sim para melhorar, se o livro fosse em terceira pessoa daria para aproveitar mais os outros personagens, mas não me importei em ficar presa dos pensamentos de Hazel Grace.DSCF3091Bom é isso, se eu falar mais o post vai ficar ainda mais extenso e a maioria das pessoas iriam parar na metade. Recomendo muitíssimo, é uma leitura ótima, e irá surpreender vocês. Tem para vender aqui. Ah, a uma notícia boa, log logo A culpa é das estrelas vai virar filme (!!!)

“Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações.” Página 281.

Resenha de livro: Um homem de Sorte

DSCF2996Hoje vim fazer minha segunda resenha de livros (lembram da primeira?). Resolvi então, escolher um dos famosos livros de Nicholas Sparks: Um homem de Sorte. Mais uma vez, pensei em fazer a resenha em vídeo, porém acho que ainda não estou preparada o suficiente para fazer vídeos de qualidade para o blog. Mas deixa de conversa e vamos falar sobre o livro.

No começo do meu segundo semestre no IFSC (que graças à Deus acabou hoje) minha professora de literatura resolveu fazer um “projetinho” para estimular a leitura do pessoal. Como eu tenho uma mania chata de querer ter todo livro que eu leio, resolvi comprar um. E escolhi Um homem de Sorte. Eu, particularmente, demorei o semestre todo para ler ~ confesso que foi por preguiça, por falta de tempo, e ainda para não esquecer do livro quando fosse explicar ~ porém, é particularmente, um livro rápido de ler, apesar das suas 349 páginas. A gramatura dele é perfeita, as letras nem tão grandes e nem tão pequenas, um espaçamento bom e as folhas são amareladas. O livro em si (sem contar com a história), é perfeito, muito bem feitinho, caprichadinho (assim como todos os outros livros da Editora Novo Conceito).

DSCF2998Ao meu ver, e até onde pesquisei, esse livro já é bem conhecido. Publicado em 2008, adaptado para o cinema em 2012, e publicado pela Novo Conceito em 2011.

Sinopse: “Mas não estava em outra época e lugar, e nada daquilo era normal. Trazia a fotografia dela consigo há mais de cinco anos. Atravessou o país por ela”
“Era estranho pensar nas reviravoltas que a vida de um homem pode dar. Até um ano atrás Thibault teria pulado de alegria diante da oportunidade de passar um fim de semana ao lado de Amy e suas amigas. Provavelmente, era exatamente isso que precisava, mas quando elas o deixaram na entrada da cidade de Hampton, com o calor da tarde de agosto em seu ápice, ele acenou para elas, sentindo-se estranhamente aliviado. Colocar uma carapuça de normalidade o havia deixado exausto.
Depois de sair do Colorado, há cinco meses, ele não havia passado mais do que algumas horas sozinha com alguém por livre e espontânea vontade.(…)
Imaginava ter caminhado mais de 30 quilômetros  por dia, embora não tivesse feito um registro formal do tempo e das distâncias percorridas. Esse não era o objetivo da viagem. Imaginava que algumas pessoas acreditavam que ele viajava para esquecer as lembranças do mundo que havia deixado para trás, o que dava à viagem uma conotação poética. Outros pensavam que ele caminhava simplesmente pelo prazer de caminhar. Estavam todos errados. Ele gostava de caminhar e tinha um destinho para chegar. Simples assim. Gostava de partir quando sentia vontade, no seu próprio ritmo, para o lugar que quisesse. Depois de passar anos cumprido ordens no Corpo de Fuzileiros Navais, a liberdade o atraía.(…) Até ter  encontrado a fotografia, a vida de Thibault seguia como há muito havia planejado. Sempre tinha um plano.” DSCF3004

O livro é baseado na história de amor entre duas pessoas e sua relação com o destino. Focando no fato de que o que está destinado a ser será.
Logan Tibault tinha toda a sua vida planejada e até aquele momento não tinha feito nada fora do planejado. Foi um ótimo aluno, estudou na universidade do Colorado, resolveu entrar para o corpo de Fuzileiros Navais. Um homem que apesar de sua formação e conhecimento tornou-se um simples soldado. Escalado para o primeiro batalhão do quinto Regimento de Fuzileiros navais foi para o Kuwait e foi lá que tudo começou.
“No fim de uma de suas corridas, quando já avistava as tendas, começou a diminuir o ritmo. Nessa hora, o sol já começava a nascer no horizonte, espalhando seus raios dourados pela paisagem Arida. Recuperava o fôlego com as mãos na cintura, quando viu o brilho pálido de uma fotografia, meio enterrada na areia. Parou para pega-la e percebeu que a plastificarão era barata, mas bem feita, provavelmente para protegê-la das intempéries. Tirou o pó para ver a imagem com mais nitidez e foi então que a viu pela primeira vez.”
Fez de tudo para encontrar o dono da fotografia, mas, não conseguiu e acabou ficando com ela. Sem saber explicar o motivo, carregou a foto consigo o tempo todo e milagrosamente salvou-se de ataques que nem mesmo ele soube explicar como. Depois da morte de seu amigo Victor, e de tudo que o amigo falava a respeito da foto, e do destino dos dois, Thibault resolve procurar a garota da foto. Atravessou milhares de quilômetros a pé até a Carolina do Norte em busca do seu “amuleto da sorte”, sendo seu único companheiro o pastor alemão Zeus, fiel e amigo.

Quando chega em Hampton Logan conhece Elizabeth, a mulher da foto. Passa a trabalhar no canil de Beth e Nana, começa uma linda amizade com Ben (fruto de um casamento imaturo de Beth) e acaba conquistando Beth, e eles começam a ter um lindo relacionamento. Mas Logan Thibault guarda um segredo que pode abalar esse relacionamento…

DSCF3006O livro é fantástico!!! Eu sou apaixonada pelos livros do Nicholas Sparks, e esse é um dos meus favoritos com certeza. Para mim, o único defeito é que, a história é bem lentinha, acontece tudo devagar, mas quando finalmente chega no final, acontece tudo muito depressa, e isso para mim não é tão bom, mas não desmerece a obra. Como quase toda obra o livro tem uma adaptação para o cinema. O filme é mais atraente que o livro, mas muda quase todas as cenas, sendo, portanto, muito diferente. O livro tem uma facilidade de nos envolver com a história. Tem capítulos curtos, cada um deles dedicado a perspectiva de um dos personagens. Apesar de falar muito de guerras, se um tema mais duro, não é um livro chato. Ele conseguiu facilitar muito o livro, o entendimento da história.
Enfim, a leitura super valeu a pena, já que adoro esse gênero, para mim foi melhor ainda ahaha. Mas até quem não gosta muito de romances gostam do livro e dizem que é uma ótima leitura. É uma história que luta por um amor, vence barreiras e luta contra um cara que sempre vou odiar.
Trouxe também, o Trailer do filme:

As vezes as coisas mais ordinárias, se tornar extraordinárias, simplesmente se realizadas pelas pessoas certas.” Página 192.

Mil desculpas pelo post tão extenso!! É um livro para ler e reler. Gostou? Tem para vender aqui.